10 táticas de marketing político realmente eficazes

Como investir em campanhas de marketing político para dispositivos móveis
setembro 14, 2015
7 dicas de retórica para melhorar o seu discurso
outubro 4, 2015

Não é difícil imaginar a importância que o marketing possui para as grandes empresas do mercado mundial, afinal elas são peças-chave no sucesso de marcas globais, como Coca-Cola, Apple, Nike, Ambev e muitas outras. Na política essa estratégia, da mesma forma, tem alto impacto. Por exemplo, quem não reparou na mudança do visual da presidente Dilma Rousseff pouco tempo antes da campanha presidencial de 2010? Essa foi só uma das inúmeras táticas de marketing político que só se limitam pela criatividade, esforços e recursos da sua equipe.

A seguir listaremos as 10 melhores estratégias para aplicar em suas próximas campanhas eleitorais, respeitando uma ordem cronológica que vai desde antes, durante até depois das eleições.

 

Pesquisas pré-campanha

As pesquisas podem fornecer informações precisas sobre o pensamento do eleitor, nas mais diversas camadas e segmentos, sob vários aspectos, como suas expectativas, desejos e necessidades. Os dados coletados podem orientar sua equipe a definir com mais precisão a linha de ação a ser seguida. Logo, ajudam a moldar a maneira como o candidato deverá se comportar, se comunicar e transmitir sua imagem ao eleitorado.

Mantenha seu candidato na mídia

É uma tática muito importante em períodos pré-eleitorais. Seu candidato precisa estar presente na mente dos eleitores, isso faz com que ele sempre seja lembrado. O público precisa ter algum tipo de conhecimento ou proximidade com ele.

Por exemplo, no caso de um candidato a prefeito, entre em contato com jornais locais para que publiquem artigos sobre os problemas da cidade. Na internet você pode criar perfis em redes sociais, a fim de estabelecer uma interação maior com as pessoas ou produzir um blog que faça postagens sobre temas de interesse da população.

Produzindo com qualidade

Para agregar valor percebido ao eleitorado, a fim de que ele não veja seu candidato igualmente aos outros, é necessário separar recursos (sim, sabemos que campanhas eleitorais não são baratas!) para contratar equipes especializadas em produção de conteúdo de qualidade, como vídeos, sites, artigos para blogs, redação publicitária, edição de imagens, gerenciamento de redes sociais e monitoramento das ações off e online – falaremos sobre algumas dessas táticas mais à frente.

Por exemplo, de nada adiantará um candidato aparecer com um lindo sorriso em cartazes e fazer grandes discursos em comícios, se em seus vídeos no YouTube o áudio é ruim e a imagem está com uma qualidade duvidosa. Se o público for o mesmo nos dois ambientes, ele perceberá a diferença.

Cuidados com a imagem

Durante uma campanha o visual e a postura do candidato são muito relevantes para o voto do eleitor. O caso da presidente Dilma reforça essa tendência. As mudanças em sua imagem foram necessárias para que ela se aproximasse mais do público. Em 2002 tivemos o caso do ex-presidente Lula, que assumiu uma postura mais ponderada durante as eleições, evitando os confrontos diretos com seus adversários e conquistando o apoio dos líderes empresariais do país. Essas táticas foram inteligentemente implantadas com o objetivo claro de conquistar um eleitorado que não fazia o perfil do PT na época.

Estruturação de discursos

É preciso saber com quem o candidato se comunica na televisão, em um comício, no seu canal de vídeos na web ou em um texto para redes sociais. Cada meio possui características diferentes e assim se pode dizer do público que compõem suas respectivas audiências.

Por exemplo, se em um discurso em uma praça pública as falas mais efusivas, em um tom mais elevado e com críticas mais contundentes ao adversário são comuns e até válidas, o mesmo não pode ser aplicado em um vídeo no YouTube, onde esse tipo de atitude faria as pessoas fecharem a página antes de terminar de assistir.

Vídeo marketing

Já falamos sobre algumas possibilidades de usar canais de vídeo na internet durante uma campanha. E de fato é uma tática poderosa. Vídeos geram mais engajamento com o público, eles compreendem melhor as mensagens e fixam uma marca na mente com mais facilidade. Além do mais, um vídeo é uma oportunidade para candidatos com poucos recursos poderem se comunicar por mais tempo com as pessoas e se posicionar melhor em uma eleição.

Blog e redes sociais

São plataformas muito eficientes quando usadas em conjunto. Os blogs são perfeitos para criar conteúdos relevantes para o público, como artigos ou podcasts sobre temas que envolvem a eleição, políticas públicas e projetos.

Já as redes sociais têm sua importância para divulgar os materiais produzidos na página da campanha e promover interações entre político e eleitores, por meio de enquetes, opiniões, críticas, solucionando dúvidas, respondendo a comentários etc. Assim, você faz com que seu candidato esteja mais próximo do eleitorado.

Não abandone as mídias tradicionais

Tirando cartazes e santinhos, que só geram custos financeiros desnecessários para a campanha e sujam as ruas, outros meios de comunicação possuem muita força, como a TV e o rádio. A televisão é um aparelho presente em quase 100% dos domicílios brasileiros e ainda é a mídia mais popular do país. Os comerciais curtos e os debates são as táticas televisivas que mais interferem, positiva e negativamente, em uma candidatura.

O rádio, apesar de a audiência ter caído com o tempo, ainda é muito popular. Seu público característico é composto por pessoas que estão realizando alguma outra atividade no momento, como taxistas, caminhoneiros, porteiros, domésticas etc.

Comícios e reuniões

São eficientes por serem o meio com contato mais próximo do eleitorado. Eles permitem a troca de informações olhando direto para as pessoas. Seu monitoramento é feito em tempo real, pois a reação do público a cada fala é o termômetro de desempenho de qualquer discurso.

De um modo mais intimista, você pode promover debates/reuniões com representantes de setores da sociedade. A vantagem, nesse caso, é poder ouvi-los e responder prontamente a qualquer dúvida. O ideal é conseguir reunir líderes e influenciadores de opinião locais, pois são pessoas que possuem muita força com seus respectivos grupos.

Marketing pós-eleitoral

Nesse caso recomenda-se utilizar todas as orientações citadas anteriormente, pois uma eleição já deve começar assim que outra termina, como se fosse um ciclo. Contudo há uma ponderação em especial para os candidatos vitoriosos: o tipo de discurso. É muito importante criar formas para se aproximar do eleitorado do(s) candidato(s) concorrente(s). São pessoas que precisam ser conquistadas, a fim de angariar um maior apoio popular para o governo do seu candidato.

Apesar da lista extensa, ela poderia ser muito maior se fosse para contemplar todas as táticas de marketing político existentes. Você pode conferir mais 6 clicando aqui. Políticos e coordenadores de campanha têm uma gama de possibilidades para aplicar essas estratégias com inteligência para oferecer mais valor para a sua campanha. Assim como no mercado tradicional, o eleitoral também é muito competitivo e qualquer diferencial percebido pelo eleitor faz diferença na votação.

E então, gostou do nosso artigo? Você já aplicou ou pretende usar alguma dessas táticas em suas campanhas? Comente conosco e deixe a sua opinião!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Converse no WhatsApp