Saiba como reduzir a taxa de rejeição de campanha nas redes sociais

Qual a diferença entre Marketing Político e Marketing Eleitoral?
agosto 28, 2015
Como investir em campanhas de marketing político para dispositivos móveis
setembro 14, 2015

Existe uma máxima antiga na política que diz que “o político deve estar onde o povo está”. Por muitos anos essa frase representava a necessidade de o ocupante de um cargo público — ou um candidato — visitar comunidades, cidades distantes e centros populacionais relevantes para seu mandato ou para a campanha.

Hoje em dia, com o crescimento do acesso à internet o povo está nas redes sociais, isso é inegável. Seja no Facebook, Twitter ou Instagram é preciso que a figura pública alcance possíveis eleitores e formadores de opinião por meio desses canais e mais, que ele gere um diálogo fundamentado em conteúdo para criar uma base sólida de seguidores.

Nesse artigo vamos apresentar algumas dicas para reduzir a taxa de rejeição das campanhas nas redes sociais, melhorando seus resultados nas urnas! Confira!

Entenda a importância do planejamento

Assim como nas ações tradicionais, a presença digital também exige um planejamento minucioso. Nele devem estar documentados desde as características demográficas do público-alvo (como localização geográfica, gênero e idade) até suas preferências e costumes.

Essas informações estão disponíveis no próprio Facebook, na área de gerenciamento da página oficial do político. Por isso, executar um trabalho efetivo antes da campanha fornecerá diversos dados que certamente auxiliarão no direcionamento dos materiais ao longo da disputa eleitoral.

Defina uma pauta

Escolher os assuntos que abordará nas redes sociais é outro ponto-chave para reduzir a taxa de rejeição de campanha. Esses assuntos devem ter relação com a realidade do eleitorado. É importante que a equipe de marketing entenda que produzir conteúdo para as redes sociais é diferente de uma peça para a televisão.

Isso porque plataformas como o Facebook permitem que as pessoas simplesmente cancelem a assinatura de uma página sem deixar de curti-la. Ou seja, você acha que sua mensagem está sendo vista pelo público quando não está.

Outro ponto importante que deve constar na pauta é a maneira como os assuntos serão abordados, principalmente temas polêmicos — como a legalização das drogas, do aborto ou o apoio ao casamento homoafetivo. Mas não fuja desses assuntos, seu poder de engajamento é surpreendente, o que nos leva à próxima dica.

Exponha e defenda seus pontos de vista

Não adianta tentar agradar a gregos e troianos. Nas redes sociais, mais do que na vida offline, é fundamental ter opinião sobre os assuntos em voga e defendê-la. Mas preste bastante atenção: defender um ponto de vista não é ofender, discriminar ou abandonar o diálogo, pelo contrário.

Defender uma opinião é embasá-la em dados e fontes seguras de informação. É incitar uma discussão sobre um determinado assunto e estar preparado para lidar com opiniões contrárias. Uma atitude democrática nas redes sociais certamente refletirá na opinião do eleitorado sobre o candidato fora da internet!

Utilize CTA’s

CTA ou call to action (chamada para ação) é uma técnica do marketing digital que visa levar os leitores e seguidores a tomar uma determinada ação após consumir algum conteúdo. Seja compartilhar uma foto com sua rede de relacionamento, deixar um comentário ou dar uma opinião, é importante que você incite as ações. Para isso, utilize verbos imperativos — como “compartilhe”, “fale” e “faça”. De acordo com pesquisas realizadas por empresas especializadas em marketing digital utilizar esses verbos aumenta significantemente o engajamento!

Você tem problemas com engajamento em suas campanhas? Deixe um comentário e compartilhe suas dúvidas conosco!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Converse no WhatsApp