Qual a diferença entre Marketing Político e Marketing Eleitoral?

Aprenda a usar as Redes Sociais no Marketing Político Digital
agosto 25, 2015
Como usar técnicas de SEO nas estratégias de marketing político?
setembro 13, 2015

Marketing Político e Marketing Eleitoral podem parecer a mesma coisa, mas são completamente diferentes. Enquanto o segundo espera resultados imediatos em um curto período de tempo, o primeiro tem um processo de continuidade e resultados em médio e longo prazos.

Apesar da distinção, tanto o marketing político quanto o eleitoral são muito importantes para o sucesso de um político. Por isso, neste post você vai conferir quais são as principais diferenças entre eles, como utilizá-los da maneira correta e quais resultados esperar de cada um. Veja a seguir:

O Marketing Eleitoral

Marketing eleitoral, como o próprio nome diz, são as ações de marketing executadas antes de um pleito, durante o período de votação e algum tempo após a divulgação dos resultados. Assim como as ações, os resultados também são temporários. Vamos utilizar um exemplo para facilitar a compreensão de marketing eleitoral:

João Nogueira é um candidato a vereador. Ele não possui uma equipe de comunicação e apenas conta com seus apoiadores para divulgar (on e offline) suas propostas, ideias e motivos que o motivam a ser candidato.

Dois meses antes da eleição João contrata um jornalista para cuidar da comunicação e dois estagiários para ajudá-lo. Uma página no Facebook é criada, diversas imagens são produzidas e os eleitores começam a interagir com o candidato, que responde a todos pessoalmente com cordialidade e interesse.

A equipe também dispara newsletters para uma base de e-mails comprada no centro da cidade, produz alguns vídeos com depoimento de apoiadores-chave para o YouTube, faz um site e investe no impulsionamento das principais publicações no Facebook.

João recebe uma boa votação e é eleito vereador. A equipe de comunicação é integrada ao gabinete e a atenção do novo vereador dissipa-se entre suas muitas tarefas cotidianas.

Se colocarmos esse exemplo em um gráfico, seria como um pico, onde as ações de marketing saem do zero, atingem um ápice e depois voltam a cair drasticamente. João não atende mais aos eleitores no ambiente virtual e as publicações são cada vez mais escassas.

O Marketing Político

Ao contrário do eleitoral, o marketing político tem como peça-chave a continuidade. Isso não significa que eles são excludentes, pelo contrário! Com uma estratégia de marketing político solidificada em informações relevantes é possível obter resultados muito mais eficientes no marketing eleitoral.

O marketing político permite construir a imagem da pessoa em destaque, definir uma estratégia de comunicação baseada em sua personalidade, conhecer profundamente o público com quem ela interage e convidar a comunidade a efetivamente participar do mandato — e do processo eleitoral, quando convém.

Se João Nogueira, do exemplo acima, quiser construir uma estratégia de marketing político, ele deve realizar algumas ações iniciais:

  • Jogar fora a lista de e-mails comprada no centro e construir uma nova, produzindo conteúdo de qualidade e convidando os interessados em receber sua comunicação via e-mail a assinar espontâneamente a newsletter.
  • Criar um blog em seu site que servirá como centro nervoso de todo conteúdo produzido (e produzir conteúdo continuamente, para todas as plataformas onde estiver).
  • Profissionalizar sua equipe de comunicação com especialistas em cada área.
  • Determinar um orçamento anual para o marketing (sem contar com o orçamento de marketing eleitoral).
  • Efetivamente ouvir seus eleitores e basear suas decisões nas informações colhidas pela equipe de marketing.

O resultado é um volume enorme de informações, uma base de seguidores fiéis e engajados e uma relação próxima e sincera com os eleitores. No período eleitoral, João poderá colocar em prática tudo o que percebeu ao longo dos diálogos estabelecidos, aumentando consideravelmente as chances de um próximo mandato.

É claro que existem muitas outras ações que nosso vereador do exemplo deve tomar para construir uma estratégia sólida de marketing político. Esses são os primeiros passos que ilustram a diferença entre os dois tipos de estratégia.

E você, tem alguma experiência no assunto? Qual conselho daria para o candidato João Nogueira? Deixe seu comentário e participe da discussão!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Converse no WhatsApp